Get Adobe Flash player

"Bem-vindo ao jornal Juca Post on-line. Aqui você poderá conferir as principais notícias de Franco da Rocha e região em tempo real"

Developed in conjunction with Ext-Joom.com

Treliças metálicas que permitirão continuidade das obras já foram instaladas. Trabalhos seguem de forma aérea, sem interferência ao tráfego

Complexo Viário de Jundiaí

Obra do Viaduto das Valquírias segue em frente

O Usuário que trafega pela Via Anhanguera (SP-330), em Jundiaí, já pode observar o avanço das obras do Viaduto das Valquírias, na altura do quilômetro 59, próximo ao trevo da avenida Jundiaí.

A equipe de obras da CCR AutoBAn já concluiu a instalação das quatro treliças metálicas sobre os pilares do novo dispositivo e a expectativa é de que até o final da primeira quinzena de novembro as estruturas já estejam sobre a rodovia, sem qualquer impacto ou prejuízo ao tráfego.

Segundo o gestor de Engenharia da CCR AutoBAn, Guilherme Baldassari, nesta técnica construtiva utilizada para vencer grandes vãos, chamada Balanço Sucessivo, a estrutura do viaduto é construída sem nenhum tipo de escoramento, apenas com o uso de treliças metálicas, que possibilitam o avanço das concretagens. "O equilíbrio é feito a partir da utilização das treliças, presas a cabos ancorados aos pilares provisórios e também da própria estrutura tensionada (aduelas), equivalente a um segmento da laje. Com o término de cada aduela ou segmento, as treliças avançam e uma nova etapa é feita, sucessivamente. O trabalho acontece de forma simultânea em cada pilar – e na mesma proporção e tempo – até que as aduelas se juntem e formem o viaduto, sem a utilização de escoramentos", explica. Até o final de dezembro, os lados do viaduto devem estar unidos sobre a Via Anhanguera.

Por meio desta técnica, nesta etapa da obra o impacto aos usuários da rodovia é praticamente nulo, por isso esta opção, uma vez que não há a necessidade, por exemplo, de interrupções no tráfego para lançamento de vigas. "Este é um trecho com alto volume de veículos e qualquer interferência poderia causar transtornos para a cidade de Jundiaí, devido à proximidade com o município, e também aos usuários de média e longa distância", ressalta.

Com o avanço das treliças metálicas sobre a rodovia, explica o gestor, o impacto aos Usuários será apenas visual. "A obra utiliza as melhores técnicas de Engenharia disponíveis e os Usuários podem ficar tranquilos quanto à segurança", garante.

Até agora, a CCR AutoBAn já executou 65% dos serviços previstos para o viaduto, como fundação, blocos, pilares, trecho estruturado sobre o córrego, por exemplo. Também já foram lançadas as vigas da cabeceira do lado norte (sentido capital-interior).

 

Complexo Viário de Jundiaí

Desde o lançamento da obra, em 20 abril de 2016, as intervenções acontecem entre os quilômetros 55+900 e 61 da Via Anhanguera, divididas em duas fases. Na primeira estão sendo construídas as alças de acesso da pista sul (sentido interior-capital) da Via Anhanguera para a avenida Nove de Julho, com a implantação de dois viadutos, ponto de ônibus e ampliações/ordenações nas vias marginais sentido sul.

Já na segunda fase da obra está em execução a construção de um novo viaduto sobre a Via Anhanguera, na altura do km 58+900 da rodovia. Esta transposição, que vai ligar as avenidas Osmundo Pelegrini e Jacyro Martinasso, resultará em uma nova interligação entre os bairros Medeiros, Eloy Chaves e Fazenda Grande ao centro de Jundiaí.

A entrega total da obra está prevista para o primeiro semestre de 2018, de acordo com cronograma aprovado pela ARTESP (Agência de Transporte do Estado de São Paulo). O investimento total é de R$ 230 milhões, pagos com recursos da receita de pedágio e financiamentos.

 

fretado

Previsão do Tempo

Developed in conjunction with Ext-Joom.com

Classificados

 

 

 

 

Notícias lidas

Ver visitas de Artigos
235196