Get Adobe Flash player

"Bem-vindo ao jornal Juca Post on-line. Aqui você poderá conferir as principais notícias de Franco da Rocha e região em tempo real"

Developed in conjunction with Ext-Joom.com

'Bom dia, minha gente'

Entrevista com Edson Santos, o radialista alagoano que fala para Franco da Rocha

Ele veio de Alagoas para a carreira de radialista em São Paulo. Passou por várias emissoras de radio e atualmente comanda o programa ‘Bom dia, minha gente’ da Radio Estação FM de Franco da Rocha, alegrando as manhãs do ouvinte franco-rochense.

Juca Post — Seu nome completo, idade e local de nascimento?

Edson Santos — Meu nome é Edson Francisco dos Santos. Sou natural de Palmeira dos Índios em Alagoas e atualmente tenho 58 anos de idade.

JP — Como surgiu essa vontade de ser radialista?

Edson Santos — É um sonho de infância. Comecei no radio em 1984. Me casei muito jovem, com 19 anos, e minha sogra me arrumou um emprego de vendedor de uma loja de tecidos. Como não vendia nada, no final do mês, o gerente que era amigo da minha sogra e sabia da minha dificuldade, pois eu morava na casa dela com minha esposa, me chamou e disse: ‘Vou comprar uma caixa de som e um microfone e você vai anunciar nossos produtos. Você vai ter uma participação nessas vendas”. E assim foi. Eu passei então a ficar na frente da loja GG, anunciando os promoções.

JP — E como foi que você foi parar na Radio?

Edson Santos — Um certo dia, o locutor Valdemar Correia da radio AM local estava passando por ali e se interessou pelo meu trabalho e foi até mim perguntar se eu não gostaria de fazer um teste na Radio Sampaio. Concordei e fui fazer o teste e passei.

JP – E você ficou muito tempo nessa Radio?

Edson Santos – Não! Não tinha salário. Só ganhei experiência.  E como eu precisava cuidar da minha família, meu filhinho e minha esposa, fui ser técnico de estradas, onde eu ganhava um salário. Viajei muito pelo nordeste. Mas depois de muito tempo retornei para Alagoas e surgiu uma oportunidade de trabalhar na equipe de esportes de uma radio para cobrir o clube CRB. Fiquei trabalhando nessa Radio uns 4 anos.

JP – E como você veio parar em São Paulo?

Edson Santos – Foi no dia 29 de maio de 1987. Vim com minha esposa e meus três filhos morar com minha cunhada aqui em Franco da Rocha, no Jardim Cruzeiro. Dias depois aluguei uma casa e comecei a trabalhar como vendedor de móveis na Loja Misson.

JP – E o Radio aqui em Franco da Rocha? Como foi que você entrou nesse segmento?

Edson Santos – Bem. Depois de um certo tempo a Mariza, dona da Loja Misson, me disse que precisava de um balconista e não de um vendedor e me dispensou. Fui então procurar serviço na Radio ABC em Santo André e fiquei por lá um bom tempo. Depois fui para a Radio Difusora em Osasco e nos sábados eu passei a ficar na frente da loja do Claudio Horta fazendo promoções e foi assim que o Zé Maria, que era diretor da Radio Estação, me viu e me fez o convite para vir trabalhar aqui.

JP – Mas você ficou um tempo e saiu também.

Edson Santos – Sim! Recebi uma boa proposta para trabalhar na Radio Difusora de Jundiaí e fui para lá.

JP – Quanto tempo você ficou nessa Radio?

Edson Santos – Fiquei um ano. Quando terminou meu contrato o Celso Monteiro, proprietário da Radio Estação daqui de Franco, me chamou novamente e eu retornei para cá.

JP – Mas você trabalhou em outras rádios nesse tempo também.

Edson Santos – Sim! Na Radio Terra, Trianon e Tupi. Fiz “Madrugada viva”, da meia-noite às 4 da manhã no lugar do Tonico Barbosa, que era folguista.

 JP – E agora você está na Radio Estação FM em que horário?

Edson Santos – Eu faço o programa ‘Bom dia, minha gente’, de segunda a sexta, das 9h às 12h. Sou muito grato ao pessoal da Radio Estação. Ao Giovani, que é o diretor, ao Diego Reis que está sempre pronto para nos ajudar, enfim, aos meus colegas que também estão sempre solícitos.

JP – Hoje você é, como se costuma dizer no meio artístico, um comunicador.

Edson Santos – Exatamente! Não me considero mais um locutor. Sou um comunicador. Pois eu vendo o produto do anunciante, meu parceiro. Eu falo a linguagem do povo.

JP – Antes de encerrar esse nosso bate-papo, você gostaria de deixar uma mensagem?

Edson Santos – Sim! Meus agradecimentos ao jornal Juca Post que está me dando essa oportunidade de contar minha história aqui. Até porque, o Juca Post é o jornal que conta a história das pessoas da cidade. E também agradecer aos meus ouvintes que me acompanham durante esses 10 anos que faço o programa. E claro, gostaria de terminar dizendo que, sem Deus no coração, a gente não vai a lugar algum.

fretado

Previsão do Tempo

Developed in conjunction with Ext-Joom.com

Classificados

 

 

 

 

Notícias lidas

Ver visitas de Artigos
235650